10.12.08

O sol

Faz nada, só é
Gira em volta dos que quer, os maiores
Mas alguns planetas insistem

Sua gravidade parece ser a mais forte pra eles

9.12.08

Penso
Logo, sou proibido

Fala

(João Ricardo e Luli)

Eu não sei dizer
Nada por dizer
Então eu escuto

Se você disser
Tudo o que quiser
Então eu escuto

Fala
Fala

Se eu não entender
Não vou responder
Então eu escuto

Eu só vou falar
Na hora de falar
Então eu escuto

2.12.08

E de repente a vida é bela

Procurava e encontrei
Agradeço

23.11.08

É,

é muito fácil falar e falar... é, sim, muito fácil. Falar do pico do topo da minha comodidade, desse pedestal em que meus pais me põem e onde eu fico sem reclamar.
É, sim. É muito fácil e me dá vergonha até falar daqui desse lugar tão cômodo onde eu tô e sempre tive.
Bá!

Mas e você, que nem pensar pensa? Que nem falar fala?
E aquele mundo do Surfista Prateado, por que é que a gente chama de utopia?

22.11.08

Dia do músico hoje

20.11.08

Moi, Myself et No One Else

(César L. Miguel)

Acordo longe de casa
É tão mais legal olhar o céu
No meio do mato, olhando a mata
Sozinho na rede com no one else

Tô cansado paca, dor desgraçada
Mas tudo parece tão legal
Eu não faço nada, eu só dou risada
E penso e viajo com moi

No ar
Mandalas de nuvens pra olhar
O ar
Um mar de nuvens pra pisar


Sesto deitado no rio
O ar é tão puro e macio
Viro moleque que tá de pileque
E tiro um tempo pra myself

Marcel
Você é que sabe viver
Ao léu
Só a Kombi, Rebeca e você


Não quero cigarro industrializado
Não quero um resquício de civilização
Eu quero andar pelado, e cogumelado
Eu quero ser bicho do mato
Todo mundo pensa que sabe. Mas só a gente sabe de verdade. Essa coisa. A gente esconde, esconde e foge, foge. Sempre e desde sempre. Ninguém quer de verdade. Ninguém quer que seja verdade. Mas aí...

Essa coisa... você sabe. Você sabe sim. Você também sente.

Sambapati, Camila

Eu te perguntava se você gostava daquela
Do Nenhum de Nós
Porque só comigo eu tinha pensado em você
Eu sei bem
Cê gosta de indie
Mas um indie rock jamais eu faria pra você
Até porque não sei fazer mesmo

Pensei comigo
Vou fazer um sambinha
Do tipo bossa nova
Estilo samba jazz

Você me desculpe eu na cara dura te fazer um samba
Mas ouvi Toquinho e Vinicius durante toda essa semana
E ao que parece você gostou dos Chicos que eu te emprestei

Achei que conseguiria fazer
Algo à sua altura
Mas não

Camila, eu te digo do fundo do fundo do meu coraçãozinho, Camila
Camila, como eu gostaria... ah, Camila!... de...
Camila, nome desgraçado de rimar!
Eu que não trampo
Dando trabalho

15.11.08

Inferno astral são todos os dias que não seu aniversário.
Se eu recebesse direito nem me passava pela cabeça mudar de cidade.

Sério.

13.11.08

Saí da Clínica de Cirurgia Plástica cheirando churrasco queimado.

Eu, que nem como carne.

1.11.08

Galerinha de Ldna. esperarançosa na cassação do Belinati.
Eu esperançoso na caça ao meu baixo.

30.10.08

A gente não vive pra viver
A gente vive pra ganhar dinheiro

21.10.08

- Tão triste quem a gente gosta longe
- Triste mesmo é não ter quem gostar

17.10.08

Vai-se o baixo, ficam o braços

Galera vem perguntar, acha que tô hiper zoado com o roubo do baixo.
Parecem estar até mais que eu.

É só uma coisa. Coisa a gente compra.

16.10.08

Fumou
Bebeu, bebeu, bebeu, bebeu, bebeu, bebeu
Fumou

Quem vê de longe acha que fuma pouco

14.10.08

Tudo isso

Ou é teste
Qual'é o tamanho dessa tua vontade?
Ou é sinal
Desiste e volta, pra frente só piora

É tão triste

Ver gente que eu gosto tanto
Que se gostou tanto mais

Se gostando tão pouco

10.10.08

ROUBADO Baixo Ibanez ASB140 Artcore

Vou te dizer... foi um belo dum tapa na cara.
O bom filho retorna à casa e eu volto a me machucar nas costas e na mão direita.
É triste... mas é o que é.
Deixa ser.
Fotos do baixo roubado (esse aí de cima é o velho)

27.9.08

Taking Care Of No Business

(Randy Bachman)

Laying in the alleyway
Maybe some rich fool will come my way
And throw me a dime
That's all I need to give me more wine
All I got is to my names
Beat up guitar with three broken strings
And I sure know
I'm just saying "Taking care of no business"

Look it here
Hey kitty cat!
Where you going?
This part of the alley is my home
Walking all over outside my wall
Boy, you sure got a whole lotta dogs
I had a sandwich in a paper bag
But a rat stole it
Ain't that some drag?
Lord, I know, I know
I sure ain't taking care of no business
Break it home

Now I'll try to get me a job

Feeding chickens
And washing down hogs
But that meant standing up all the time
And standing up to me is just like dying
I'm so lazy that I could cry
But tears are just too lazy to fall out of my eyes
Lord, lord, lord, I'm so messed up
Can't even take care of no business
Play it one more time

Aww, it's always me
Aww, I sure wish I had me a sandwhich or anything
I'm so broke I can't even pay attention
Uh, I'm so poor I can't even give you the time

21.8.08

Eu tinha razão
Sem saber
Tinha motivo pra ficar deprê

Só não te falo o porquê
Uh-iê!

19.8.08

Nada que 12h de sono não resolvam.
Resolveram.
Justo eu, sempre tão seguro de mim...
Deprimido?

14.8.08

Paquera no teatro

Chegou, ela e uma amiga o esperavam, Mas na primeira fileira?, Ela disse que é melhor pra ver, A gente não veio ouvir? Ligaram a máquina de fumaça, resolveram ir mais pro fundo. Show cansativo e luzes acesas várias vezes: saiu sem uma investida o Casanova.

11.8.08

Tribo's Bar apresenta
TRÊS CENTAVOS e HIDROFONES
Sexta, 15 de agosto, a partir das 23h

- TRÊS CENTAVOS
Músicas próprias, The Who, Jimi Hendrix, The Beatles, Black Sabbath, Deep Purple, Mutantes, Pink Floyd, Led Zeppelin, Cream, The Rolling Stones e mais rock n' roll

- HIDROFONES
Rage Against The Machine, Nirvana, Black Sabbath, Pearl Jam, Silverchair, Metallica, Alice In Chains, Audioslave, Stone Temple Pilots e mais grunge

CONVITES
Femininos: r$5
Masculinos: r$7

6.8.08

1º ROCKABEER
Com as bandas Três Centavos, The Stoned Sensation e Hidrofones
Domingo, 10 de agosto, a partir das 13h na Assoc. da Sanepar (AMES)

Convites: r$5 (somente antecipados)
- César: 9978 9083
- Paulo: 8405 0639
- Horiy: 9934 2725


- Três Centavos
Músicas próprias, The Who, Jimi Hendrix, The Beatles, Black Sabbath, Deep Purple, Mutantes, Pink Floyd, Led Zeppelin, Cream, The Rolling Stones e mais rock n' roll

- The Stoned Sensation
Rock alternativo autoral

- Hidrofones
Alice In Chains, Black Sabbath, Metallica, Nirvana, Pearl Jam, Rage Against The Machine, Silverchair, Stone Temple Pilots e mais grunge

Discotecagem ROCK

Mapa de acesso:

11.7.08

Alguém que não consigo ler.
Alguém que se mostra impassível.
Onde há empatia quase zero.
Caralho, por que eu não te flagro?

26.6.08

27 jun, sáb., no Chaplin Snooker Bar (C. Mourão-PR)

Banda: Três Centavos (acústico)
Local: Chaplin Snooker Bar (av. Irmãos Pereira, em frente à Carajás)
Horário: 22h 30
Investimento: r$1


No set list:
Músicas próprias, The Beatles, Led Zeppelin, The Who, Pink Floyd, Stevie Ray Vaughan, Mutantes, Raul Seixas, The Rolling Stones, The Ramones, David Bowie, Barão Vermelho, The Kinks e mais

22.6.08

27 jun, sex., no Tribo's Bar

Banda: Três Centavos
Local:
Tribo's Bar (av. Cerro Azul, 628)
Horário: 23h
Investimento: r$5 (meninas) | r$7 (meninos)


No set list:
Músicas próprias, The Beatles, Black Sabbath, Cream, Deep Purple, Eric Clapton, Grand Funk Railroad, Jimi Hendrix, Led Zeppelin, Mutantes, Pink Floyd, Raul Seixas, The Rolling Stones, Stevie Ray Vaughan, The Who e mais

18.6.08

21 jun, sáb., em Maringá, no Pub Fiction Bar

Bandas:
DON RAMON
Ramones, Raimundos, Bad Religion, Kings Of Leon, Neil Young, The Strokes, The White Stripes e mais rock alternativo

HIDROFONES
Alice In Chains, Audioslave, Black Sabbath, Foo Fighters, Metallica, Nirvana, Pearl Jam, Rage Against The Machine, The Smashing Pumpkins, Soundgarden, Stone Temple Pilots e mais grunge

AMNÉSIA
Tributo ao Silverchair


Convites: r$5 (femininos) | r$7,5 (masculinos)

Good Boy

(letra: César L. Miguel | música: César L. Miguel / Paulo Garrido / Barsa Ribeiro)

I tried to be a good boy
I tried to be a better man
I tried, I gave my best
But I can't change who I am

When you said you wont me
To a real commitment
You know I think I'd couldn't handle something like this

So please don't be sad
I've tried to warn you
You know that I can't handle with me being exclusive

You know that I tried
You remember that I told you
You know I tried to try
So let me tell how I feel

And you callin' me
Its just...
I can't say how it feels
I can't understand, people like to be loved
But with me
This is not how it goes

12.6.08

10.6.08

Caceta:

Cacete + buceta


(Um palavrão hermafrodita!)

Pasta de dente de alho

Ingrediente
- 1 dente de alho

Preparo
- Amasse

Pasta de dente no olho

Ingredientes
- 1 tubo de creme dental
- 1 escova dental
- 1 olho

Preparo
- Passe o creme dental na escova, deixando que sobre um pouco
- Tente pôr de volta
- Espirre no olho
- Grite

7.6.08

Constatação

O cesto de lixo do banheiro
do apartamento onde eu moro
quando aberto fede a merda.

Meu quarto, incenso.

23.5.08

- E aí, tudo bem, como é que cê tá?
- Bem até. Não tão bem quanto você, mas tô bem, sim.
- Ué, por quê? Que aconteceu comigo que eu tô tão bem?
- Tô sabendo que cê tá ficando com Absbabsbá.
- Ué, que que tem?
- Essa menina não existe.
- Existe, sim, tô até ficando com ela. Ela é daquelas que cê só fica sonhando, né?
- É...
- Ah, mas nem esquenta, cara. Ela nunca te deu bola, mas não é porque cê é feio...
- E por quê, então?
- É porque cê é burro.


13.5.08

SOCIALIZANDO (17 mai, sáb., em Maringá, no Pub Fiction Bar)
Festa de C. Sociais da UEM

Banda:
Três Centavos (70's rock)
Músicas próprias, The Beatles, Black Sabbath, Cream, Deep Purple, Grand Funk Railroad, Jimi Hendrix, Led Zeppelin, Mutantes, Pink Floyd, Raul Seixas, The Rolling Stones e Stevie Ray Vaughan


Convites antecipados por r$7 nos fones
9978.9083 c/ César,
8405.0639 c/ Paulo e
9969.0111 c/ Barsa.

26.4.08

É Fácil

(Arnaldo Baptista)

Eu me amo
Como eu amo você
É fácil
É fácil

20.4.08

Sabe, cara... Canastra é uma banda bem boa.

14.4.08

ARQUITETUISMO (25.04, sexta, em Maringá, no Pub Fiction Bar)
Festa de arquitetura da UEM

Bandas:
Três Centavos (70's rock)
Músicas próprias, The Beatles, Black Sabbath, Cream, Deep Purple, Grand Funk Railroad, Jimi Hendrix, Led Zeppelin, Mutantes, Pink Floyd, Raul Seixas e The Rolling Stones

Hidrofones (90's rock)
Alice In Chains, Audioslave, Foo Fighters, Metallica, Nirvana, Pearl Jam, Rage Against The Machine, Silverchair e Stone Temple Pilots


Convites antecipados por r$8 (na hora, r$10) com:

César: 9978.9083
Paulo: 8405.0639
Horiy: 9934.2725

Pra Te Reduzir

(Rafael Castro)

Três, dois, um

O mundo é enorme, eu sei
É tanto quilômetro que parece não ter fim, eu sei
É muita cara, é muita opinião, né?
Mas eu insisto embora isso canse e me estresse
Provar pro resto que sou eu quem tem razão

E ai de quem disser que não
Que eu não entendo e que nem vou tão cedo

Eu tenho pena de quem não se deixa persuadir
E diz que eu sou um porre, um doente, um indelicado
Aí sim eu gargalho, eu não dou a mínima, não
Não considero, eu não preciso de ninguém
Não preciso de ninguém, eu não preciso

E ai de quem disser que sim
Que eu não entendo e que nem vou tão cedo

Eu nasci com o intuito de esbanjar toda coisa
Que aprendi pra te reduzir, irmão
Eu vivi o meu assistir, toque na televisão
Eu li livro, eu visitei o museu, a exposição
Vi orquestra e viajei lá pra fora de avião

Se eu me apertar, é improvável
Mas se o interlocutor retoricar demais, argumentar demais
Raciocinar, quiser sair no braço
Não me embaraço, tenho estratagema
Trapaceio, chantageio, me finjo de doente
Falo que alguém morreu ou chamo de palhaço

E ai de mim se eu não vencer
E precisar me aliar, eu choro

13.4.08

Sete da manhã, quatro pães franceses e quatrocentos gramas de muçarela pra dois. Muçarela parece errado, mas é o certo, também pode ser mozarela ou muzarela ou a gente pode usar o original italiano que é mozzarella, mas never, never, never! never! never! use bermuda! (/massacration) mussarela, que não sei porque é o jeito que a gente vê sempre no mercado.

Quando eu soube que tinha sido pedido quatrocentos gramas achei que ia ser muito. A gente decidiu comer um pão primeiro e depois ir na minha casa comer o outro esquentado com o queijo derretido. O primeiro teve umas quatro, cinco ou seis fatias de queijo, não lembro, também não importa.

No caminho pra casa desisti, a fome era maior, Vamo comê na rua memo, bicho! Esquentar é o caralho! Fomos tirando uma a uma as fatias e pondo cada um uma no seu respectivo pão. Onze fatias e meia! Onze fatias e meia!

O pão virou uma bola que mal cabia na mão, fomos comendo e o sol já tava alto até. Resolvi que ia deixar o melhor pro final. Depois de duzentos gramas de muçarela o que fiz? O último pedaço era de pão puro. E na minha cabeça ainda queria outro pra comer sem queijo nenhum, sentindo só o gosto do pão. Acho que não quero saber de queijo por uns dias ou três.

4.4.08

Fila da puta do caralho.

MPA shuts down powertabs.net

27.3.08

Na última sexta-feira que foi feriado fui às compras, mas nenhum mercado tava aberto, comprei numa farmácia e num posto, comprei pão de fôrma Wickbold integral, mas nada p/ passar nele, comi um tanto dele com um lámen da Turma da Mônica sabor tomate. Foi bom até.

Hoje fui às compras de novo, além de comprar muita comida, visto que quero voltar a cozinhar em casa, o principal motivo era comprar um desodorante e algo pra botar no pão, tipo margarina, doce de leite, manteiga ou queijo ou qualquer outra coisa que eu achasse. Gastei trinta e dois e noventa e dois, comprei agrião, couve, repolho normal e roxo, alface crespa, castanha de caju, tomate, cebola, alho triturado, um Toddy de quatrocentos gramas, uma caixa de leite integral Terra Viva, um Sucrilhos de vinte e cinco gramas e uma pizza Aurora de quatro queijos.

Só faltou o desodorante e algo pra botar no pão.

19.3.08

ROCK NO AR (29.03, sábado, em Umuarama, no By Night, r$10)
Para cada pessoa que for à festa será plantada uma muda de árvore

Bandas:
Três Centavos (Maringá, trio, 70's rock)
Músicas próprias, The Beatles, Black Sabbath, Cream, Deep Purple, Grand Funk Railroad, Jimi Hendrix, Mutantes, Pink Floyd, Raul Seixas e The Rolling Stones

Nevilton (Umuarama, trio, 80's BRock, MPB)
Músicas próprias, Cazuza, Chico Buarque, Jorge Ben, Legião Urbana, Paralamas do Sucesso e Sá & Guarabyra
Hoje é terça-feira, amanhã tem ensaio e às 19h eu vou ser feliz.
Quinta não tem aula e nem sexta, vamos tomar Original por r$2,69, a vida é bela...
Pena que existem os nóias pra quererem roubar os caras gente boa.

12.3.08

As melhores cuecas ficam no fundo da gaveta.

6.3.08

Chega em casa cheirando um cigarro que não é dele.
Ele adora.

Logo ele, que nunca foi fã de tabaco...

4.3.08

Revista Veja, a verdade, Luis Nassif e mais um bombardeio

Autor: Bender

Certa vez Luis Nassif - um dos jornalistas mais conhecidos e respeitados do Brasil - acreditou ter sido atacado por matérias publicadas na Revista Veja, a revista semanal brasileira com maior tiragem.

Lembro de ter lido tempos atrás uma coluna do Mainardi (uma das últimas que consegui ler) onde ele criticava a liberdade de expressão dos colunistas do IG. Não sei se este caso foi o estopim para o entrevero, mas faria sentido se estivesse junto.

O argumento do colunista, muito estúpido, por sinal, é de que o IG é propriedade de fundos de pensão e portanto seria dinheiro dele ali. Portanto, dentro da sua cabeça privilegiada, “Nassif estaria usando patrimônio público para fazer lobby”.

Bem, os fundos de pensão não são do governo. São dos empregados das estatais (Banco do Brasil, Petrobras, etc), mas pedir coerência para algumas pessoas é equivalente a exigir da peladona do funk que dance e use roupas ao mesmo tempo. Não dá, o cérebro pifa e as meias Vivarina rasgam.

Melhor nem entrar na questão do lobby porque qualquer coluna de opinião dá muita margem para esse tipo de acusação, coisa que o próprio Mainardi constantemente sofre. Enfim, eis que o Nassif decidiu usar sua competência para contra-atacar a revista, que ele enxerga como exemplo de mau-jornalismo.

"Não será um desafio fácil. Estaremos enfrentando o esquema mais barra-pesada que apareceu na imprensa brasileira nas últimas décadas. E montado em cima de um tanque de guerra: uma publicação com mais de um milhão de exemplares. (fonte)"

Este blogueiro é solidário e decidiu usar o Google para bombardear a Revista Veja. Como?

Simples, basta lincar a palavra Veja para o extenso manifesto que Nassif está publicando semanalmente com denúncias fundamentadas contra a revista.

Repetindo: linque Veja com esse endereço http://luis.nassif.googlepages.com.

Repetindo mais uma vez: toda a vez que a palavra Veja aparecer no seu blog, ela deve ser lincada (sem nofollow) para o endereço http://luis.nassif.googlepages.com.

Quanto mais gente fizer isso EXATAMENTE IGUAL, maior a probabilidade da denúncia do Nassif aparecer no topo das buscas por Veja no Google.

ATUALIZAÇÃO: Devido ao forte apoio que esta campanha recebeu dos outros blogs, a página do Nassif sobre a Veja está em quinto lugar na busca por “veja”. Veja a Veja aqui.

Esse sucesso fica ainda mais aparente se considerado que a página do Nassif tem um SEO péssimo!!! Sério. Ela sequer aparecia nas buscas por “Nassif+Veja” e agora está lá, toda faceira, em quinto lugar na busca.

(Retirado do Bender Blog)
- Buro, por que cê não usa droga, bicho?
- É que eu sou careta.

Sem ter o que dizer, disse nada.

3.3.08

Cê vai matando e eu vou morrendo.

Pra quem não morre a vida continua.

"My name is Ivor"

8h, insônia há 2h com nada que eu possa fazer, só esperar e esperar e esperar.


É triste.


Trilha:
"A Quick One (While He's Away)", do Who
"Bomba H Sobre São Paulo", do Arnaldo - o Baptista

19.2.08

9.2.08

- É uma salada, Bino!

29.1.08

"É um modificador de vidas ele"

Mas as pessoas parecem gostar de voltar à mesmice.

E mesmo quem disse também parece que gosta.

21.1.08

Popokelvis Bubbaloo

Popokelvis deve ser a cadela mais magra do mundo, não anda nem come há uma semana. Podíamos ter feito qualquer coisa, desde que fosse antes. Sua morte tá agendada pra essa semana, de injeção.

Popokelvis e eu bêbados tentando
ler As intermitências da morte

O Barsa tem uma outra cadela agora, a Nêga. A Popokelvis nunca foi de ninguém, ela só escolheu a gente, gostava da gente, morava na rua mas às vezes dormia com a gente ou na frente da república. Agora eu ajudo a Nêga, de remorso, não quero que nenhuma cadela morra enquanto a gente puder fazer algo.

3.1.08

3 de abril de 2007

Acabei de sair de um namoro e ela saiu faz uns dois meses, cidades diferentes, eu ligava todo dia, todo dia mesmo, eu amo a TIM e amava o fato de ela também usar TIM, Oi, eu disse e ela, Cé?, como se alguém mais usasse meu celular ou ela não conhecesse a minha voz, ninguém sabe, mas eu achava muito legal ser chamado pela primeira sílaba do meu nome, parece que tem uma intimidade tão grande, talvez fosse por isso que eu só a chamava pelo nome, todas as três sílabas, nada de apelidos, ainda não sentia toda essa intimidade que o modo como ela me chamava passava. Como pergunta óbvia, resposta óbvia, Eu, acho que perguntou foi pra tomar coragem, devia ter pensado muito a respeito e tinha tomado essa decisão besta, respirou fundo e Não quero te ver essa semana, eu ia todo fim de semana, o casal se grudava e só desgrudava perto da hora do último ônibus, como de costume o apático Tá me salvou mais uma vez da falta de resposta, enquanto procurava tempo pra entender, Acabou?, mas agora?, agora que começa a ficar legal?, se é o que ela quer, acho que tudo bem talvez, seria o que eu iria pensar não fosse Daí quando vier na semana que vem eu quero, mas essa não, que me deixou mais confuso, essa menina parecia que vivia pra me deixar confuso, precisava de mim mas se importava e atendia quando o ex ligava, falava preocupada sobre a minha ex achando que eu fosse voltar, ligava chorando às vezes, até agora não entendi. No telefone outra vez a contração do verbo estar me salvou, tava tudo bem, ela não tava me largando, ela só queria não me ver e eu queria um motivo, era preciso um, não?, Tem motivo?, Não, Tá, Tchau, Tchau, esse último com a maior cara de interrogação do mundo, Como assim?, a gente sempre demorava um bom tempo no telefone, como assim, não quero te ver esse fim de semana, tchau?, como assim?

Não me lembro direito, acho que liguei de novo e tentamos conversar melhor, ela tinha é medo, dizia que queria todo dia, os sete dias, e não só os dois e meio que eu podia oferecer, Não tem mais beijo nenhum, hoje é o último, no outro dia disse que não agüentou e beijou, mas aí na semana seguinte conseguiu e na outra também, continuamos a nos ver mais alguns fins de semana, mas só nos ver, ela saía com o grupo de amigos do ex, parei de ir atrás, eu me mordia. De vez em quando ela dava um toque no celular ou puxava papo na internet, oi ceh, Oi., td bem?, Sim, e aí?, e isso era tudo, é legal esse lance de puxar papo na internet, a gente não gasta nem saliva, não tem nem que ouvir a voz da outra pessoa e na falta de uma desculpa pra encerrar o assunto é só bloquear e dizer que caiu a conexão ou a energia, que desligaram o computador ou simplesmente ignorar, que é o que ela geralmente fazia. Depois vi que voltou pro ex, eu já tinha partido pra outras e hoje, seis meses depois dessa ligação, ela veio puxar papo de novo, disse feliz ano novo que não respondi, nunca respondo, e pediu ajuda porque todo curso que ela pensava em tentar no vestibular o pai dela dizia que não iria sustentá-la quando virasse profissão. Quais cursos cê pensou em fazer?, foi a antepenúltima coisa que escrevi a ela, depois de uns dez minutos ainda insisti e foi a antepenúltima, Desistiu?, passaram mais dez e ela de novo me deixando sem entender não respondeu a nenhuma das perguntas, só escreveu boa noite, como quem diz bom dia ao porteiro, saindo apressado de manhã. E cada vez que ela fez isso eu me senti bem por tudo ter terminado muito antes do que eu esperava, pelo fato de ela ter voltado pro ex que desejou nunca ter conhecido e por eu simplesmente não me importar mais com nada, decidi que não era digno de um Tá essa boa noite escrita em minúsculas, na falta de algo melhor, só achei o OK.
Coisa estranha, as férias me dão mais tédio do que os dias em que ficava na província sem fazer nada de nada de nada.

Bom é rever os amigos antigos, mesmo que sejam um ou dois só, e ver que ainda é possível conhecer pessoas nessa cidadezinha que de pacata não tem nada.

Melhor ainda é ver a cartinha de RPG que cada um é e essa montoeira de experimentações rolando. E ver caranguejo em cachoeira e esse tipo de coisa surreal, esse monte de ponto brilhando e se mexendo no chão de estrelas.

Esse punhado de gente que tá todo na mesma e eu também. E aquele outro punhado, punhado?, só quando punhado é a maioria das pessoas que vivem, esse outro punhado, esse outro punhado que é enorme tá em outra, cada um na sua. Esse outro punhado deixa quieto, a gente só suporta.

- Um caranguejo, cara!
- Um caranguejo, hahaha!
- Meu! Um caranguejo! Cacacacacá!